top of page
  • Foto do escritorBrasil Cotidiano

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência: o papel dos cuidadores para a inclusão e bem-estar

Profissionais capacitados auxiliam para uma melhor qualidade de vida de idosos surdos


Crédito da foto: Assessoria de imprensa


Celebrado anualmente em 21 de setembro, o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as diversas questões enfrentadas pelas pessoas com deficiência, promovendo a inclusão e combatendo o preconceito e a discriminação que afetam essa comunidade. No Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem mais de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. Essas deficiências podem ser adquiridas ao longo da vida, como a presbiacusia, que é uma diminuição gradual da audição associada ao envelhecimento. Além disso, fatores como exposição prolongada a ruídos intensos ao longo da vida, doenças crônicas e outros problemas de saúde também podem contribuir para o desenvolvimento de deficiências em idosos.


A perda auditiva nessa faixa etária pode trazer impactos negativos significativos, como dificuldades na comunicação, isolamento social e até mesmo o comprometimento da saúde mental. Portanto, é importante o diagnóstico precoce para um tratamento adequado, garantindo que possam ter uma melhor qualidade de vida e participação ativa na sociedade. A figura do cuidador no cotidiano faz toda a diferença para a promoção do bem-estar de idosos nesta condição.


O profissional desempenha um papel essencial na interação, sendo capaz de se comunicar de maneira mais eficaz com o idoso surdo, garantindo que suas necessidades sejam atendidas e que ele possa se expressar sem dificuldades. Além disso, o cuidador auxilia na garantia de que o idoso esteja usando corretamente os aparelhos auditivos, caso tenham sido prescritos, proporcionando uma melhoria significativa na sua capacidade de ouvir e se conectar com o mundo ao seu redor.


A Acuidar, maior rede de cuidadores especializados do país, atua fortemente no setor, e o seu objetivo é fazer com que o prestador de auxílio se adeque, da melhor maneira possível, a rotina do assistido, promovendo qualidade de vida e apoio nas tarefas cotidianas.


A segurança do idoso é um outro pilar que fica a cargo da atenção do cuidador. A perda auditiva pode resultar em dificuldades de percepção de sons importantes, como alarmes ou chamados de alerta, o que pode aumentar o risco de acidentes domésticos e quedas. Com um profissional atento a essas situações, perigos são antecipados, garantindo um ambiente seguro para o idoso. Em situações de emergência, o cuidador pode ser a ligação essencial para solicitar ajuda e garantir que a assistência necessária seja encaminhada.


O suporte emocional e social ao idoso também é um dos papéis do cuidador. A redução da audição pode se tornar uma experiência isoladora, uma vez que dificulta a comunicação e a participação em atividades sociais. O profissional atua como um companheiro constante, com interações significativas, participando de momentos de lazer e assegurando que o idoso se sinta incluído e amado. Isso é fundamental para a saúde mental e o bem-estar geral do paciente, o que contribui no combate à solidão e ao isolamento social




Sobre a Acuidar:


Fundada em 2016 pelo médico Vitor Hugo de Oliveira e pela fisioterapeuta Jéssica Soares Ramalho, a rede oferece serviços no domicílio do cliente ou durante acompanhamento hospitalar, com opções de diárias avulsas e planos mensais. A marca entrou para o mercado do franchising em 2020, contando hoje com 115 unidades inauguradas. O investimento inicial total é de R$ 44 mil (já com a taxa de franquia) o faturamento médio mensal é de R$ 60 mil e o prazo de retorno é de 6 a 15 meses. Saiba mais em: https://www.acuidarbr.com.br/




Por assessoria de imprensa

Comentarios


bottom of page