top of page
  • Foto do escritorBrasil Cotidiano

Livro infantojuvenil retrata resistência quilombola e liderança feminina no Brasil

Historiadora e psicopedagoga, Patrícia Rodrigues Augusto Carra narra a trajetória de uma jovem que se reconecta com a memória ancestral de sua comunidade ao lutar pelos direitos da população


Crédito da foto: Assessoria de imprensa


Maria Flor é um livro infantojuvenil sobre ancestralidade e resistência dos quilombolas no Brasil. Escrita pela doutora em Educação, historiadora, psicopedagoga, pesquisadora e professora, Patrícia Rodrigues Augusto Carra, a obra narra a trajetória de uma jovem advogada que volta à sua comunidade para defender os direitos da população.


Neste retorno, ela se conecta com o passado da família, composta por líderes femininas responsáveis pelo sustento da Comunidade Café dos Livres. A mãe, Simplícia, cultivava flores junto com outras mulheres, que também mantinham uma produção sustentável de café e arroz. A partir de uma linguagem simples e didática, o texto percorre uma linha histórica sobre o Brasil desde o período da colonização até os dias atuais.


Simplícia contava histórias dos seus antepassados nas rodas de conversa da família, mas especialmente e com mais detalhes, nos momentos em que se detinha a trançar sem pressa os cabelos da filha: um misto de arte e de carinho. A Comunidade Café dos Livres, no cerrado mineiro, tinha as suas origens nos tempos em que a escravidão era, ainda, legalizada no Brasil. Seus fundadores eram pessoas escravizadas que conseguiam fugir do destino que parecia estar traçado. (Maria Flor, pg. 4)


Com o apoio de ilustrações de Vanessa Martinelli, psicóloga e ilustradora de produções infantojuvenis, os jovens aprendem sobre as comunidades quilombolas antes e depois da Lei Áurea e percebem a importância do protagonismo feminino para o enfrentamento dos desafios sociais. A obra, entretanto, não se restringe à história: também aborda o valor do afeto familiar e o incentivo à educação desde cedo.


Maria Flor é resultado de anos de experiência da autora com o ensino básico e faz parte do projeto Histori-se, uma revista on-line criada por Patrícia Carra para divulgar produções de mulheres. Na plataforma, o texto do livro está disponível gratuitamente em formato digital para que todos possam conhecer sobre as comunidades remanescentes dos quilombos.


Ficha Técnica

Título: Maria Flor

Autora: Patrícia Rodrigues Augusto Carra

Editora: Histori-se

ISBN: 978-65-00-55238-6

Páginas: 20

Preço: R$ 53,25

Onde comprar: Amazon | Uiclap


Sobre a autora: Doutora em Educação, psicopedagoga, historiadora e pesquisadora, Patrícia Rodrigues Augusto Carra atuou por décadas como professora do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Aposentada desde 2020, retomou o contato com o trabalho pedagógico por meio da fundação do Histori-se, revista digital com publicações mensais de conteúdos produzidos por mulheres. Estreou na literatura com o livro infantil “Maria Flor” e tem outros contos publicados. Nasceu em Manhumirim, em Minas Gerais, e mora em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.



Mídias sociais:





Por assessoria de imprensa



bottom of page