top of page
  • Foto do escritorBrasil Cotidiano

Museu Afro Brasil reabre "Tributo a Emanoel Araujo" e inaugura duas novas exposições no fim de semana

Emática das novas mostras inclui história do samba paulistano e o olhar de dois artistas baianos sobre os espaços físicos e sociais

Crédito: Divulgação

No próximo fim de semana, o Museu Afro Brasil Emanoel Araujo, instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, prestes a completar 20 anos de existência, reabre a exposição "Tributo a Emanoel Araujo" e inaugura duas novas mostras: "Wagner Celestino: Caminhos do Samba" e “Entre Linhas: Aurelino dos Santos e Rommulo Vieira Conceição”. As três exposições serão abertas ao público no sábado, 6 de junho de 2024, às 11h, em diferentes espaços do museu. A entrada é gratuita.

“Essas exposições aproximam e celebram quatro artistas extraordinários, num momento decisivo para o Museu Afro Brasil, prestes a completar 20 anos de existência”, sublinha Hélio Menezes, diretor artístico da instituição, e que assina a curadoria das  três mostras. “É quando o Museu volta os olhos para a sua própria história, a constituição de seu próprio acervo, reapresentando-o e rearranjando-o à luz de diálogos novos, inéditos – e, assim, qual sankofa, vira para trás para mirar para a frente”, completa.

O "Tributo a Emanoel Araujo" reabre na recepção do térreo, com as novas peças que integram o programa ‘Singular Plural’, programa dedicado à acessibilidade na mediação do acervo e das exposições temporárias do Museu. A mostra apresenta reproduções táteis de obras de Emanoel Araujo, artista e fundador do Museu Afro Brasil, e disponibiliza a audiodescrição do vídeo que compõe o acervo. 

A mostra "Wagner Celestino: Caminhos do Samba" é uma homenagem à rica tradição do samba paulistano. A partir do olhar sensível do fotógrafo Wagner Celestino, a exposição retrata figuras lendárias do samba, como Seu Nenê da Vila Matilde, Xangô da Vila Maria e Carlão do Peruche. Instalado sob a marquise do museu, na área externa, o acervo apresentará as fotografias acompanhadas de biografias dos homenageados.




Crédito: Divulgação


A exposição “Entre Linhas: Aurelino dos Santos e Rommulo Vieira Conceição”, que estará disponível no térreo do Museu, coloca em diálogo os artistas soteropolitanos, explorando a profunda relação que ambos têm com os espaços físicos e sociais que os cercam. Aurelino dos Santos apresenta a complexidade urbana de Salvador em suas 28 pinturas, reordenando o caos urbanístico com cores vibrantes e elementos do cotidiano. Rommulo Vieira Conceição, com duas esculturas, transforma objetos do dia a dia em instalações que desafiam as fronteiras entre o interno e o externo. 

 

SERVIÇO 

Sábado,  6 de julho, das 11h às 18h

Tributo a Emanoel Araujo -  Local: Recepção - Térreo

Wagner Celestino: Caminhos do Samba -  Local: Marquise

Entre Linhas: Aurelino dos Santos e Rommulo Vieira Conceição -  Local: Térreo

Data e horário: 06 de junho de 2024, a partir das 11 horas

Endereço do Museu: Parque Ibirapuera, Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, portão 10, São Paulo – SP (acesso via transporte público ou veículo de aplicativo)

Funcionamento: terça a domingo, 10h às 17h (permanência até às 18h)

Ingresso: R$15 (meia entrada, R$7,50)

Entrada gratuita às quartas-feiras e no dia da abertura 6/7

Estacionamento (Parque Ibirapuera)

Horário: das 5h à 0h

Acessos para automóveis: Portões 3 e 7

 

Sobre o Museu Afro Brasil Emanoel AraujoInaugurado em 2004 a partir da coleção de seu fundador, o Museu Afro Brasil Emanoel Araujo é uma instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, gerido em parceria com a Associação Museu Afro Brasil - Organização Social de Cultura. Situado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, no Parque Ibirapuera, o museu possui mais de 8 mil obras em um espaço de 12 mil m², e destaca a inventividade e ousadia de artistas brasileiros e internacionais desde o século XVIII até a contemporaneidade, explorando temas como religião, trabalho, arte e escravidão, registrando a influência africana na construção da sociedade brasileira.




Por Assessoria de Imprensa

Comments


bottom of page