top of page
  • Foto do escritorBrasil Cotidiano

"Projeto Empatia" promove inclusão em grandes eventos

Idealizado pela Feel Alive, iniciativa visa criar ambientes para diversidade em formaturas, festivais e demais eventos do setor





Você já participou de algum evento onde a diversidade e inclusão não eram prioridades? Talvez você já tenha se deparado com festas onde a falta de políticas de inclusão eram evidentes, principalmente em ocasiões de grande porte, como festas universitárias, festivais e demais eventos corporativos.


A boa notícia é que a maioria dos empresários já estão conscientes do seu papel. Segundo a pesquisa Diversidade, Equidade e Inclusão das Organizações, realizada  pela Deloitte, 94% das empresas enxergam que essas práticas são benéficas aos negócios.

Na prática, algumas empresas responsáveis por organizar grandes eventos, têm aderido a projetos de inclusão. Um exemplo é o “Projeto Empatia”, lançado em 2020 pela Feel Alive, consiste em uma série de medidas voltadas para criar ambientes seguros em formaturas e demais festas universitárias. Exemplo: Tusca (uma das maiores festas tradicionais de universitários do país, realizada anualmente em São Carlos/SP), PUC - Direito (maior formatura da América Latina). Mas, afinal, como funciona na prática?

  • Ponto de Acolhimento: Psicólogas e profissionais oferecem suporte em situações de crise, como ansiedade, assédio, racismo, LGBTfobia e outras formas de discriminação, garantindo que todos os participantes se sintam seguros e apoiados durante o evento.

  • Treinamentos de diversidade e inclusão: Colaboradores da Feel Alive passam por treinamentos desde o momento em que se juntam à empresa contratante, assegurando que a equipe esteja bem preparada para promover um ambiente inclusivo em todos os eventos.

  • Busca ativa durante o evento: Uma equipe identifica e aborda situações de assédio, preconceito e discriminação que possam surgir, permitindo intervir rapidamente.

  • Sinalização com cartazes: Cartazes e sinalizações comunicam claramente a política de tolerância zero para discriminação e assédio nos eventos.

  • Canal de ética: Um canal de ética permite que os participantes (podendo ser utilizado durante e no pós eventos) denunciem qualquer forma de discriminação de forma anônima ou não. Além disso, o canal é uma parceria com a Contato Seguro, empresa referência em canal de ética.



  • Público e case de sucesso: A Feel Alive é a empresa responsável por organizar o maior baile de formatura da América Latina (PUC-Direito). E um dos cases de sucesso desse evento foi a inclusão de 100% dos bolsistas na celebração. A equipe viabilizou a participação de 61 bolsistas, sendo que 18 deles tiveram a cobertura integral do pacote de formando, ou seja, participaram da festa sem arcar com qualquer custo. "Estamos orgulhosos em levar políticas de inclusão, empatia e sustentabilidade para os mais jovens, principalmente em ações como essa. Sabemos que a formatura é um sonho para muitos, mas nem todos possuem condições financeiras para arcar com o investimento. O Empatia é uma extensão do nosso compromisso em tornar esses sonhos uma realidade para todos, independentemente de suas circunstâncias”, comenta o CEO da Feel Alive, Tiago Favaro.A gerente de Marketing da Feel Alive, Bruna Alves, complementa. “Buscamos não apenas criar ambientes de trabalho mais acolhedores, mas também agregar valor aos negócios de nossos clientes com atração e retenção de talentos, melhora na reputação da marca, inovação, criatividade, resiliência e adaptabilidade. O projeto é uma forma de promover o sucesso da empresa e a sustentabilidade a longo prazo”, finaliza. Sobre a Feel Alive Co. A Feel Alive é uma empresa líder no segmento de eventos, arte e cultura, reconhecida por sua inovação e excelência na organização de shows, eventos universitários e uma variedade de outras experiências únicas. Desde a sua fundação, a Feel Alive tem se destacado por sua abordagem inovadora e sua capacidade de criar momentos únicos que transcendem o comum. Saiba mais em: https://feelalive.com.br/  Por assessoria de imprensa


Comments


bottom of page